Notícias

Apreendida 42 toneladas de grãos de soja e milho com resíduos de agrotóxicos em Frederico Westphalen

Postado dia 20/12/2021

Apreendida 42 toneladas de grãos de soja e milho com resíduos de agrotóxicos em Frederico Westphalen

Sementes tratadas com agrotóxicos eram lavadas para serem comercializadas para consumo humano e animal

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR), com apoio da Patrulha Ambiental da Brigada Militar (Patram), realizou operação na região de Frederico Westphalen na quinta-feira (9/12), na qual foram apreendidas 42 toneladas de grãos de soja e milho com resíduos de agrotóxicos.

Do total, 15 toneladas eram de soja semente tratada com agrotóxicos. Segundo o preposto, por serem velhas, as sementes estavam sendo lavadas em betoneiras, para posterior comercialização como grãos, para consumo. Segundo relatos dos fiscais que participaram da ação, os agrotóxicos resultantes dessa lavagem estavam escorrendo a céu aberto pelo chão, até chegarem às tubulações de escoamento fluvial, em flagrante dano ambiental.

As outras 23 toneladas eram de milho grão e farelo para trato animal, entre as quais havia grãos tratados com agrotóxicos. Os funcionários que estavam executando esta atividade não utilizavam equipamento de proteção individual. “O uso de agrotóxicos no tratamento de sementes é permitido e visa proteger o grão contra o ataque de pragas, desde a semeadura até a emergência da planta. A questão é que o tratamento torna esse grão impróprio para consumo, seja ele animal ou humano”, explica o diretor do departamento de Defesa Vegetal da SEAPDR, Ricardo Felicetti.

“Com essa operação, os fiscais estaduais agropecuários da Secretaria, engenheiros agrônomos, evitaram a contaminação de inúmeros animais, o agravamento da contaminação ambiental no local e a contaminação por agrotóxicos dos funcionários que estavam realizando esta atividade, salvaguardando a saúde pública e também o meio ambiente”, complementa o diretor.

Felicetti destaca que ações como essa fazem parte do escopo de trabalho da fiscalização agropecuária, garantindo segurança aos diversos elos envolvidos na cadeia produtiva, desde o agricultor até o consumidor final.

Denúncias podem ser feitas às inspetorias ou escritórios de defesa agropecuária da SEAPDR: www.agricultura.rs.gov.br/inspetorias-escritorios.

 

Fonte/foto: Folha do Noroeste

Martinho
Francisco.

Saiba mais sobre o apresentador

Ir para o site

Programa Eu Sou do Sul