Notícias

Delegada regional, Aline Dequi Palma avalia Operações realizadas na Região

Postado dia 26/07/2021

Delegada regional, Aline Dequi Palma avalia Operações realizadas na Região

As operações Sectários I (deflagrada ainda no fim do ano passado) e II e a operação Continuum são desdobramentos de investigações que estão acontecendo há mais de dois anos na região

Na semana passada as forças de segurança regional, junto com o Ministério Público, em uma união de esforços no combate à criminalidade, realizaram mais uma ação visando coibir um dos crimes que mais causam transtornos à sociedade, o tráfico de entorpecentes. A ação, denominada de Sectários II, foi deflagrada na sexta-feira, 16, em cinco municípios da região. Além desta operação, as forças de segurança regionais realizaram no início de junho a Operação Continuum. Juntas, as duas ações resultaram na prisão de 15 pessoas e na apreensão de dois adolescentes, além da apreensão de grande quantidade de entorpecentes.

– As operações Sectários I (deflagrada ainda no fim do ano passado) e II e a operação Continuum, na verdade, são desdobramentos de investigações que estão acontecendo há mais de dois anos na região, referente ao crime de tráfico ilícito de entorpecentes. Na nossa região temos algumas células que coordenam o tráfico e que são todos ligados a uma mesma organização criminosa envolvendo vários municípios. Então, essa ramificação do tráfico é investigada de forma regionalizada, por isso essas operações são realizadas em conjunto em diversos municípios da região – detalha a Delegada de Polícia titular da 14ª Delegacia Regional de Polícia do Interior (14ª DPRI), Aline Dequi Palma.

Ainda segundo Aline, a avaliação das operações é considerada positiva, diante do saldo de cada uma das ações. “Conseguimos cumprir quase todas as ordens judiciais e estamos em um caminho positivo em relação as investigações envolvendo o narcotráfico, especialmente, nesses municípios onde as operações foram deflagradas. Consideramos que a Polícia Civil vem trazendo resultados positivos nesse tipo de investigação para as comunidades, onde as investigações se baseiam”, afirma a autoridade policial.

Em relação a presença de grupos criminosos na região, a delegada regional informa que os municípios possuem a presença de uma organização, a qual se ramifica em várias células, que são as responsáveis por coordenar e chefiar o tráfico de drogas. Nesse sentido, o trabalho central da PC é identificar todas as ramificações e buscar coibir essas ações criminosas.

 

Importância da prevenção

 

Considerado um dos crimes de maior gravidade, em razão da relação direta com outros delitos, a investigação do narcotráfico é prioritária na Polícia Civil. “O tráfico sempre foi um crime que nos preocupou muito e é uma das prioridades de investigação, porque ele traz consigo a prática de diversos outros crimes, como furtos, roubos, homicídios, ameaças. Então, diante disso, a gente sempre dá prioridade a esse tipo de investigação” relata Aline Dequi Palma.

Nesse sentido, a autoridade policial ressalta a importância do repasse de informações no combate a esse delito. Aline destaca, ainda, a atuação conjunta entre as forças de segurança e a relevância do auxílio da população. “Na investigação do tráfico de drogas é muito importante a participação da sociedade, através da informação. A gente sabe que é um delito muito difícil de investigar, por isso a gente conta muito com o apoio da comunidade, que pode fazer denúncias anônimas através dos vários canais que temos. Também, é possível fazer as denúncias aos demais órgãos de segurança, pois como atuamos de maneira conjunta, todas as informações que chegam até nós têm muita valia para o sucesso das ações de repressão dos crimes de tráfico de drogas”, reforça a delegada regional.

 

Com informações de Folha do Noroeste

Martinho
Francisco.

Saiba mais sobre o apresentador

Ir para o site

Programa Eu Sou do Sul