Notícias

Ascensão e queda de Eduardo Cunha condenado a 15 anos de reclusão

Postado dia 30/03/2017

Ascensão e queda de Eduardo Cunha condenado a 15 anos de reclusão

Eduardo Cunha ex- presidente da Câmara está preso desde outubro de 2016, e nesta quinta-feira, 30, foi condenado por 15 anos de reclusão por três crimes na Lava Jato

O ex-presidente da Câmara foi condenado pelos crimes de corrupção, passiva pela solicitação e recebimento de vantagem indevida no contrato de exploração de petróleo em Benin, na África, por três crimes de lavagem de dinheiro e dois crimes de evasão fraudulenta de divisas. Cunha recebeu a sentença de 15 anos e 4 meses de reclusão pelo responsável dos processos da Operação Lava Jato Juiz Federal Sérgio Moro.

O ex-deputado é o único réu deste processo, que estava no Supremo Tribunal Federal (STF) e foi encaminhado à 13° Vara da Justiça Federal no Paraná após Cunha ser Cassado.

Cunha quando jovem não era politizado e nunca foi de movimento estudantil nem de nenhum outro movimento, era de família de classe média e ingressou na política com o objetivo claro de “Ascenção Social”. Seu primeiro partido foi o PRN (Partido da Reconstrução Nacional), que em 1989 ajudou a eleger Collor presidente, como tesoureiro do comitê de campanha no Rio. Tempos depois Collor o nomeou como presidente da Telerj, onde Cunha teve um importante papel na implementação da telefonia celular no Rio. Onde foi envolvido, pela primeira vez, num escândalo de superfaturamento. A segunda vez veio em 2000, quando foi afastado da Companhia Estadual de Habitação (Cehab) por denúncias de contratos sem licitação e favorecimento a empresas fantasmas.

No ano de 1998 Cunha se elegeu como deputado estadual.  Cunha entrou como suplente; teve apenas 15 mil votos, menos de sete por cento dos 232 mil que o tornaram o terceiro deputado federal mais votado do Rio em 2014. Nesta época o deputado era discreto foi considerado uma figura ardilosa, mas essa descrição acabou em 2014, quando Cunha liderou um "blocão" que exigia do governo mais cargos para os aliados.

Cunha era acusado, na Lava Jato, de receber propinas milionárias: por um contrato de navios-sondas da Petrobras teria recebido US$ 5 milhões; das empresas ligadas ao Porto Maravilha (no Rio de Janeiro), a soma chegaria a espetaculares R$ 52 milhões.

A cassação de seu mandato aconteceu em novembro de 2016 com450 votos a favor, 10 contra e 9 abstenções. E nesta quinta- feira o ex presidente da Câmara é condenado á 15 anos e 4 meses de reclusão.

 

Foto: (Reprodução) Google

Martinho
Francisco

Saiba mais sobre o apresentador

Ir para o site

Programa Eu Sou do Sul