Notícias

 Laranja: Safra segue com perspectiva de redução na produção

Postado dia 30/07/2020

Laranja: Safra segue com perspectiva de redução na produção

Estiagem foi um dos fatores que mais influenciou na diminuição da produção nesta temporada. No âmbito da exportação, novidades devem fomentar a atividade no Norte gaúcho

A estiagem continua gerando impactos em algumas culturas no Rio Grande do Sul, a exemplo da laranja. Nos Coredes Rio da Várzea e Médio Alto Uruguai, a colheita das variedades precoces iniciou em maio e registra quebras significativas na produção. Alguns técnicos da Emater/RS-Ascar contatados pela reportagem da Novo Rural explicam que a falta de chuva ocorreu em um período crucial para o desenvolvimento das frutas, comprometendo a qualidade, especialmente no que refere ao tamanho e ao peso tanto para o consumo in natura quanto para a indústria. Os impactos devem ser menores nas variedades tardias, como a valência, que está em fase de colheita na região. Por isso, as projeções apontam para uma safra com produção menor em 2020. 

Alpestre/RS

Em Alpestre/RS, as expectativas ainda são promissoras. Por lá, espera-se um leve incremento na produção comparado ao ciclo anterior, segundo técnicos e extensionistas rurais do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar, apesar de a baixa precipitação pluviométrica entre os meses de dezembro de 2019 e março de 2020 acarretar em redução nos tamanhos e pesos das frutas por plantas.

– Pomares onde os manejos são adequados, com cobertura de solo, palhada e aplicação de fertilizantes de forma correta tiveram boas produtividades e com frutos de melhor qualidade devido a este solo possuir melhores condições de armazenamento de umidade – explicaram os técnicos-agropecuários e extensionistas rurais Clair Olavo Bertussi e Alencar dos Santos à reportagem.

Em 2019, foram colhidas cerca de 12,4 mil toneladas de laranja no município. A principal variedade de laranja cultivada é a valência (71,3 %) e já conta com 40% da área colhida. A colheita das variedades mais tardias, como a folha-murcha, deve iniciar em meados de agosto e setembro.

Planalto/RS

Em Planalto/RS, a safra de laranja 2019 fechou em 17,5 mil toneladas, segundo o técnico-agropecuário e extensionista rural Doraci Bedin, da Emater/RS-Ascar. Para 2020, a estimativa de produção é de 14,5 mil toneladas, redução de em torno de 17% se comparado ao ano anterior. Nesta safra, são 800 hectares em produção, sendo que a colheita já atinge cerca de 70% da área. 

– A projeção de redução para esta safra se deve ao longo período de estiagem e também aos preços praticados no ano anterior, considerados abaixo das expectativas – pondera Bedin.


Liberato Salzano/RS

Em Liberato Salzano/RS, a redução pode atingir cerca de 24%, já que em 2019 foram produzidas 25 mil toneladas de laranja e para esta safra a projeção é de 19 mil toneladas.

– A redução na produção desta temporada está atrelada com a falta de chuva que se prolongou até maio. As variedades tardias são as menos afetadas, mas também devem sentir impactos – relata o técnico-agropecuário e extensionista rural Valdinei Bazzeggio, da Emater/RS-Ascar.

Outro fator elencado por ele são os preços praticados pelo quilo da fruta.

– Atualmente, o preço está em R$ 0,32/kg e este já era para ter aumentado, mas problemas sanitários causados, principalmente, por pinta-preta nos pomares sem muito cuidado, estão fazendo com que muitos antecipem a colheita da laranja valência, aumentando a oferta da fruta e com isso ‘freando’ a recuperação do preço – pondera Bazzeggio, ressaltando que a expectativa é de aumento em meados de agosto, quando esta oferta diminuirá e os preços subirão perto dos R$ 0,40/kg, ultrapassando o valor mínimo de R$ 0,39.

Cooperativa deve potencializar a exportação

Uma nova cooperativa deve fomentar ainda mais a atividade na região Norte gaúcha. A Coopersalzano surge com o objetivo de facilitar, principalmente, a adesão dos citricultores no sistema de certificação Fairtrade, o chamado comércio justo, que visa facilitar o acesso dos produtores ao mercado externo.

A expectativa é de que a cooperativa comece a operar no fim de 2020 ou quando a pandemia gerada pelo Covid-19 for cessada. A Coopersalzano conta com a assessoria da Unidade de Cooperativismo (UCP) da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen/RS.

– A projeção é de que esta envolva toda a região e, depois de ativa oficialmente, outras regiões produtoras do país, na condição de o produtor ser sócio. Também estamos focando na produção orgânica de citros, trabalho que já vem sendo incentivado através da Associação de Citricultores e, como cooperativa, queremos fortalecer ainda mais este segmento – adianta o presidente da Coopersalzano, Leandro Rubin.

 

Fonte: Rafaela Rodrigues/Novo Rural

Foto: Gracieli Verde Novo Rural

Martinho
Francisco.

Saiba mais sobre o apresentador

Ir para o site

Programa Eu Sou do Sul