Notícias

Mais de 880 casos de crimes contra mulheres na região

Postado dia 02/12/2019

Mais de 880 casos de crimes contra mulheres na região

Números registram queda superior a 10% em crimes relacionados a Violência da Mulher, porém, índice não deve ser celebrado

O debate sobre a violência contra a mulher permanece de maneira constante, afinal, diversos casos são conhecidos do público diariamente pelas redes sociais ou outros veículos de comunicação em todo o país. Como por exemplo, a mulher que foi agredida por um homem em um bar, enquanto diversas pessoas apenas acompanhavam a agressão. O dia 25 de novembro também é conhecido como o Dia Internacional da Não Violência contra as Mulheres, e, na região de abrangência do jornal Folha do Noroeste, os números não convergem para este dia.

Em 2018, foram registrados 1.017 casos de crimes relacionados a violência contra mulheres. Estes números, disponibilizados pela Secretaria Estadual de Segurança Pública, englobam crimes como Ameaças, Lesão Corporal, Estupro, Feminicídio Consumado e Feminicídio Tentado. Já em 2019, foram registrados 887 casos, ou seja, uma diminuição de 13% em relação ao ano anterior.

Frederico Westphalen e Palmeira das Missões, municípios mais populosos da região, são os que possuem os maiores índices. Neste ano, foram registradas 129 ameaças em Frederico Westphalen e 149 em Palmeira das Missões. Já as ocorrências de lesão corporal no município frederiquense foram 35 registros, enquanto que, em Palmeira das Missões, foram 41 ocorrências.

A região não conta com uma Delegacia de Polícia Especializada no Atendimento às Mulheres (DEAM), e, conforme a delegada Aline Dequi Palma, a região possui apenas um Posto da Mulher, na DP de Palmeira das Missões e um Cartório da Mulher, em Frederico Westphalen. Mesmo assim, a delegada ainda afirma que a atenção é cada vez maior na Polícia Civil.

– Este tipo de crime (a violência doméstica) tem uma atenção cada vez maior da Polícia Civil, já que os casos de crimes graves vêm aumentando consideravelmente. A Polícia Civil, aqui da região, está sempre preocupada em dar um atendimento especial às mulheres vítimas de violência, primando pela prioridade no atendimento, visando evitar, com isso, a ocorrência de crimes mais graves e também preservar a integridade física e psicológica da mulher – ressaltou.

O governo do Rio Grande do Sul aderiu à campanha “16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, promovida internacionalmente, e, além disso, o Estado também deflagrou a Operação Marias. A ação busca cumprir mandados judiciais, verificar medidas protetivas de urgência e denúncias referentes a crimes de violência doméstica e familiar contra mulheres.

 

 

Com informações de Thiago Henrique/ Folha do Noroeste

Martinho
Francisco.

Saiba mais sobre o apresentador

Ir para o site

Programa Eu Sou do Sul