Notícias

Região dá início à colheita de citros

Postado dia 18/07/2019

Região dá início à colheita de citros

Em relação ao mercado, clima ainda é de expectativa em relação ao preço mínimo, que deve ser reajustado neste mês de julho

Apesar da redução de 30% na produção de laranja para suco, consequência da alta produtividade da safra anterior – quando 25 mil toneladas de laranja foram produzidas – e do volume de chuva registrado no mês de maio, produtores de Liberato Salzano vivem em clima otimista em função da safra atual. O município é considerado um dos maiores produtores de citros, junto com Planalto e Alpestre, mas ganha destaque estadual nesse quesito.

De acordo com o técnico agropecuário Valdinei Bazeggio, da Emater/RS-Ascar, variedades de laranjas como a iapar, salustiana, umbigo-bahia, rubi e laranja-céu já estão sendo colhidas. Nas bergamotas, a colheita também ocorre nas mais variedades mais precoces, como a satsuma-okitsu, dekopon, ponkan e bergamota caí.

Embora a maturação seja tardia, a colheita da laranja tipo valência também já está sendo realizada por alguns produtores. Do ponto de vista do técnico, esse é um método arriscado, pois a fruta se encontra em seu estado mais ácido, o que dificulta o trabalho na indústria que processa sucos, por exemplo.

– As indústrias preferem frutas menos ácidas para trabalhar e garantir a qualidade dos sucos produzidos – destaca Bazeggio, que, por outro lado, explica que a opção por parte de alguns produtores em colher essa variedade é a queda dos frutos, reflexo das chuvas intensas registradas no mês de maio.

Essa situação também foi comentada pelo engenheiro-agrônomo Samuel Sperandio, do escritório municipal da Emater/RS-Ascar de Planalto.

– O excesso de chuva observado em maio está ocasionando a queda dos frutos agora, fator que contribuirá na retração de produção, mas não é nada que possa prejudicar os produtores ou saia fora das expectativas – pondera Sperandio. O município possui em torno de 380 produtores de laranja e bergamota. Isso tudo soma mais de 760 hectares. A projeção é de que sejam colhidas mais de 20 toneladas de laranja por hectare nesta safra.

Em Alpestre, conforme o técnico agropecuário Alencar dos Santos, da Emater/RS-Ascar, a safra também será mais tímida em comparação ao ciclo anterior.

– A safra passada foi acima da média, então é normal que nesta tenhamos uma produção menor – pontua Santos, que também menciona os fatores climáticos como item-chave dessa redução de produção. Dos 736 hectares, divididos entre as produções de laranja, bergamota e limão, o município também espera colher mais de 20 toneladas por hectare neste ciclo.

Mercado

Outro ponto em debate no setor, especialmente entre indústrias e compradores, é o preço do suco no mercado internacional, que caiu significativamente, e também o reajuste do preço mínimo da laranja, que passa a vigorar em julho. Com isso, a caixa de 40,8 kg poderá ser comercializada por R$ 15,95. Se fala até em leilões de apoio à comercialização para garantir que nenhum produto seja vendido abaixo do preço mínimo e para assegurar a renda do produtor. A tendência é que essas questões sejam esclarecidas nos próximos meses, quando o trabalho a colheita deve se intensificar.
 

 

Fonte: Rafaela Rodrigues/Novo Rural

 

Martinho
Francisco.

Saiba mais sobre o apresentador

Ir para o site

Programa Eu Sou do Sul