Notícias

Segue plantio das culturas de verão no RS

Postado dia 09/11/2018

Segue plantio das culturas de verão no RS

Avança no estado a semeadura das culturas de soja, milho, feijão e arroz

Avança em todo o Rio Grande do Sul a semeadura das culturas de Verão. A soja teve a semeadura intensificada, atingindo em torno de 19% da área prevista de 5,89 milhões de ha. Nas regiões Celeiro, Alto Jacuí e Noroeste Colonial, a alta umidade no solo ainda vem impedindo um maior avanço da semeadura da cultura. De acordo com o Informativo Conjuntural, divulgado pela Emater/RS-Ascar, nas demais regiões, as áreas implantadas apresentam bom stand de plantas e padrão de lavouras, aspectos favorecidos pelas condições climáticas. A maioria das lavouras é conduzida com alto nível tecnológico e com bom manejo dos insumos agrícolas; portanto, se o clima for favorável, a safra poderá ser de alta produtividade.

A semeadura de milho também avançou nas regiões da Fronteira Noroeste, Missões, Alto Jacuí, Celeiro e Noroeste Colonial, em decorrência das condições climáticas favoráveis para plantio e germinação/crescimento das plantas, que vêm demonstrando excelente potencial produtivo até o momento.

No feijão 1ª safra, prossegue o plantio, com as primeiras lavouras semeadas em estádio de floração e com ótimo estado fitossanitário, doenças monitoradas e baixa incidência de pragas. Naquelas de plantio mais tardio, se realizam adubação nitrogenada em cobertura e controle de plantas invasoras.

No arroz, os orizicultores gaúchos seguem na implantação das lavouras, alcançando 84% da área de cerca de 1,05 milhão estimada pela Emater/RS-Ascar. O clima mais seco na semana permitiu esse avanço, mesmo que em alguns locais as temperaturas baixas da madrugada resultem em emergência lenta e desuniforme do grão na lavoura.

A cultura do trigo teve um aumento de áreas prontas para serem colhidas, prejudicada pelo excesso de chuvas, pela baixa luminosidade e por temperaturas altas, que favorece a incidência de doenças fúngicas, como septória, giberela e brusone. A consequência desse cenário é a redução da produtividade e da qualidade dos grãos colhidos, demonstrada através do pH baixo, menor que 78. Isso tem disparado o acionamento do Proagro em muitos municípios. Até o final da semana passada, na região do Alto Uruguai foram solicitadas 193 perícias pelos produtores.

A cultura da cevada está em fase adiantada de colheita, especialmente no Planalto Médio e Alto Uruguai, duas das maiores produtoras desta gramínea, que apresenta qualidade de regular a ruim, prejudicada pelas condições climáticas desfavoráveis após o período de frutificação. A produtividade média vem caindo, assim como a qualidade (poder germinativo). A colheita deverá ser encerrada até o final do mês. Nessa cultura também são muitas as solicitações de perícias para Proagro. 
 

 

Com informações de Emater/RS

 

Martinho
Francisco

Saiba mais sobre o apresentador

Ir para o site

Programa Eu Sou do Sul